posto-santa-lucia-novo-2017
Banner-Lista-Candeia
Banner-online
WhatsApp Image 2020-07-06 at 08.28.31
Banner-Cep

Plantação de café: área plantada em Bariri caiu de 730 hectares em 2000 para 70 hectares em 2020 – Divulgação

Alcir Zago

Na última década o município de Bariri teve queda acentuada nas lavouras permanentes. Em 2010 eram 4.350 hectares voltados a esse tipo de cultura. No ano passado a quantidade caiu para 1.838, com redução de 57,7% da área agrícola (veja quadro).

Os dados são do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Entre as lavouras permanentes com forte diminuição de área, destaque para o café e para a laranja.

Segundo o instituto, culturas permanentes são aquelas de longo ciclo vegetativo, que permitem colheitas sucessivas, sem necessidade de novo plantio.

De forte presença no início da formação do município e início do século passado, o café teve queda de área plantada de 730 hectares em 2000 para 250 hectares dez anos depois e para 70 hectares no ano passado. Nesse período de 20 anos a redução foi de 90%.

Já a laranja registrou diminuição da área plantada de 3.940 hectares em 2010 para 1.508 hectares em 2020 (queda de 61,7%).

Com relação às lavouras temporárias (de curta ou média duração, geralmente com ciclo vegetativo inferior a um ano; após a colheita, necessitam de novo plantio para produzirem), a área plantada no município de Bariri teve crescimento de 69,8% entre 2000 e 2010, mantendo praticamente a mesma área dez anos depois. Nesse tipo de cultura o agricultor tem mais facilidade em substituir o produto, analisando, por exemplo, o preço do mercado.

Conforme a tabela do IBGE, nota-se que o algodão e o arroz não existem mais em Bariri. Culturas como o amendoim e a soja tiveram forte incremento em áreas plantadas no município. E outras culturas (girassol, mandioca e sorgo) que antes não existiam, hoje fazem parte das lavouras de Bariri.

O IBGE apresenta também dados por cabeça de bovinos, suínos, aves, entre outros. (veja quadro).

 

Análise

 

Para Nivaldo Muzardo, assistente agropecuário da Secretaria de Agricultura do Estado de São Paulo, é preciso levar em conta o fator econômico para compreender os dados.

Diz que a agricultura, não diferente de outros setores, busca desenvolvimento e a geração de recursos, com isso não pode abrir mão da especialização e da flexibilidade do mercado.

“Nossa região há muito tempo encontrou sua aptidão na cultura da cana-de-açúcar, assim o setor evoluiu muito, seja no uso de novas e melhores variedades, mecanização e prestação de serviço especializado”, explica Muzardo.

O mercado interno e principalmente o externo fizeram surgir uma grande oportunidade. Como a cana-de-açúcar necessita de renovação de suas áreas de plantio, surgiram culturas como o amendoim, o girassol e a soja.

Por outro lado, o custo de produção, o valor da terra e as condições climáticas (em especial o déficit hídrico) fizeram com que algumas culturas migrassem para outras regiões também especializadas, como é o caso do algodão, do arroz e da laranja.

“Ano após ano colhemos boas notícias vinda da agricultura, seja na balança comercial, no aumento da produtividade ou na geração de empregos”, comenta o assistente agropecuário. “As adequações continuam, pois os avanços em pesquisas e serviços fazem esse setor ser bastante dinâmico, novas alterações poderão surgir em nossos horizontes assim como damos as boas-vindas ao abacate, à mandioca e ao sorgo.”

 

Áreas destinadas em Bariri às lavouras permanentes (em hectare)

 

Cultura                 2000             2010             2020

Abacate                  85                 15                 65

Borracha (látex)     14                 14                 13

Café (em grão)       730               250               70

Laranja                   4.469            3.940            1.508

Limão                     5                   6                   3

Tangerina               115               125               179

Total                      5.418            4.350            1.838

 

Fonte: IBGE

 

 

Áreas destinadas em Bariri às lavouras temporárias (em hectare)

 

Cultura                 2000             2010             2020

Algodão                 90                 0                   0

Amendoim             20                 50                 670

Arroz                      450               170               0

Cana-de-açúcar      8.800            23.300          21.000

Feijão                     250               30                 30

Girassol                  0                   0                   60

Mamona                 350               20                 0

Mandioca               0                   0                   38

Milho                     4.500            1.200            1.350

Soja                        180               100               1.500

Sorgo                     0                   0                   50

Tomate                   2                   2                   0

Total                      14.642          24.872          24.698

 

Fonte: IBGE

 

Rebanho em Bariri (por cabeças)

 

Espécie de rebanho       2000             2010             2020

Bovino                             29.529          18.608          22.334

Bubalino                          58                 156               1.253

Equino                             650               200               248

Suíno                               6.670            6.500            4.930

Caprino                            250               50                 125

Ovino                              380               930               730

Galináceos (total)            900.000        615.430        1.166.000

Galinhas                          42.200          4.630            4.250

 

Fonte: IBGE