Slider

Iniciativa partiu da promotora de Justiça Gabriela Silva Gonçalves Salvador – Arquivo/Candeia

O Ministério Público (MP) do Estado de São Paulo vem destinando recursos de multas, termos de ajustamento de conduta (TACs) e acordos nas áreas criminal e cível para os Fundos de Saúde municipais e estadual empregarem no combate e tratamento da Covid-19.

Numa iniciativa da promotora de Justiça Gabriela Silva Gonçalves Salvador, houve liberação de R$ 58.067,41, montante que estava no fundo vinculado à Comarca de Bariri.

Desse valor, 90% serão destinados ao Fundo Municipal da Saúde de Bariri e 10% para Itaju.

A decisão sobre o pedido do MP coube à juíza Betiza Marques Soria Prado, da 1ª Vara Judicial de Bariri.

Segundo a magistrada, o enfrentamento ao novo coronavírus “aumentou de forma inesperada e desproporcional os custos da prestação de serviços à saúde da população”.

Betiza ressaltou em sua decisão que os valores deverão ser utilizados na aquisição de material e equipamentos médicos.

As duas prefeituras deverão apresentar conta da destinação dos valores dentro do prazo de 60 dias.

Antes, a Justiça determinava o pagamento de cestas básicas a determinadas entidades.

Depois foi criado fundo que contempla verbas de prestação pecuniária de multa, transação penal e suspensão condicional do processo.

As entidades podem apresentar projetos para utilizar a verba. Em Bariri, várias instituições usaram o recurso.

Agora, diante da pandemia do novo coronavírus, o MP decidiu reverter o dinheiro no combate à doença.