Composição 1_1
Composição 1_1
    Nicoly Nicolai tinha nove anos – Foto: Arquivo Pessoal

A garota Nicoly Stephanie da Silva de Nicolai, 9 anos, morreu na madrugada deste sábado, dia 24, após ser picada por escorpião.

A tia da menina, Taísa Favaro, conta que ela brincava no quintal de casa no sítio onde morava, por volta das 10h de sexta-feira, dia 23.
A propriedade rural fica às margens da Rodovia Leônidas Pacheco Ferreira (SP-304), sentido Bariri-Itaju, a poucos metros da área urbana de Bariri.
Ao pular sobre um papelão, ela levou uma picada de escorpião no pé. Nicoly brincava descalça.
Após ela dar um grito, um adulto que estava perto rapidamente identificou e capturou o escorpião.
A menina foi levada imediatamente ao pronto-socorro da Santa Casa de Bariri e tomou seis ampolas de soro antiescorpiônico. A disponibilidade do soro em Bariri e outras cidades da região ocorre após a Justiça Federal acatar pedido do Ministério Público Federal. Isso porque em abril deste ano uma criança de 6 anos morreu em Barra Bonita após ser picada por um escorpião.
Taísa diz que o médico pediatra Luiz Gonzaga Gerlin, que estava na Santa Casa de Bariri no momento da chegada da sobrinha, deu o atendimento.
Com a piora do quadro, a menina foi levada para Unidade de Terapia Intensiva (UTI) de Bariri. Ela não melhorou e foi transferida para a Santa Casa de Jaú, onde recebeu mais soro.
Na tarde de sexta-feira Nicoly chegou a ter quatro paradas cardíacas. Na última delas os procedimentos para que o coração dela voltasse a bater demoraram dois minutos.
Por esse motivo, a equipe médica de Jaú decidiu que a garota ficaria em coma induzido.
À 1h de sábado, dia 24, o quadro da garota piorou. Ele teve outras três paradas cardíacas e acabou morrendo por volta das 2h da madrugada.
Às 8h da manhã o corpo da menina chegou a Bariri. Ela está sendo velada no Velório Municipal. O enterro será às 16h30 deste sábado no Cemitério de Bariri. Nicoly cursava o quarto ano na escola Julieta Rago Foloni.
Taísa diz que todo o socorro foi prestado e de forma rápida. Segundo relatado pelos médicos a ela, o veneno do escorpião causou grandes danos à saúde da menina e de forma rápida. Por esse motivo, a sobrinha não sobreviveu.

Soro

A diretora municipal de Saúde, Samara Ferro Jacó de Carvalho, informa que 40 minutos após a utilização do soro antiescorpiônico na garota, as ampolas já foram repostas.
Samara explica que estes soros não são encontrados para a compra. “Já fizemos contato com Instituto Butantan e outros locais, mas eles não realizam a venda”, diz. “São disponibilizados através da secretaria estadual”.

 

[contact-form][contact-field label=”Nome” type=”name” required=”true” /][contact-field label=”E-mail” type=”email” required=”true” /][contact-field label=”Site” type=”url” /][contact-field label=”Mensagem” type=”textarea” /][/contact-form]