Composição 1_1
Composição 1_1

Sede do Tribunal de Contas, em São Paulo: 87,11% das prefeituras paulistas realizaram busca ativa escolar – Divulgação

Levantamento realizado pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE) junto aos 644 municípios paulistas (exceto a capital) mostra que, no ano passado, 87,11% prefeituras realizaram busca ativa escolar para combater a exclusão e garantir o direito à educação a crianças e adolescentes.

Com as mudanças drásticas no ensino público impostas pela pandemia da Covid-19 e o agravamento da evasão escolar, 91,61% dos municípios elaboraram alguma estratégia para oferecer aulas ou conteúdos pedagógicos para os estudantes de forma on-line.

Ao todo, 37,29% das administrações disponibilizaram plataforma digital para o ensino remoto e 95,81% afirmaram ter adotado estratégias para garantir o cumprimento do currículo e das horas letivas previstas em lei.

Em resposta ao ‘Questionário de Ensino’ aplicado pela Corte de Contas paulista, 97,46% das prefeituras disseram ter realizado controle de quantos alunos tiveram ou não acesso às aulas e às atividades escolares. Relativamente aos estudantes que receberam o conteúdo pedagógico on-line, 95,59% dos municípios declararam ter algum tipo de controle quanto à efetiva realização das atividades.

Um total de 74,73% das administrações respondeu ter promovido formação dos profissionais da rede de ensino para desenvolverem as atividades a distância com os estudantes.

 

Ensino presencial

 

Em relação ao retorno ao ensino presencial, 50,31% dos municípios fizeram algum tipo de previsão de data de volta às aulas. No entanto, em 96,27% o retorno não foi obrigatório e 54,35% das cidades paulistas adotaram modelo híbrido, com atividades presenciais e remotas. Para a retomada da modalidade in loco, 66,15% das prefeituras promoveram capacitação e apoio a professores e gestores escolares.

Dos 644 municípios fiscalizados pelo TCE, 535 deles (83,07%) declararam que a rede pública de ensino se planejou para realizar algum tipo de avaliação diagnóstica do nível de aprendizado dos estudantes quando da retomada das aulas e 155 (24,07%) estabeleceram estratégias de reposição de conteúdo.

Ao todo, 513 (79,66%) fizeram planejamento para atividades de recuperação de aprendizagem.

 

Fonte: Tribunal de Contas do Estado