Slider

Luiz Carlos, Nilza, Roberto e Carlos receberam título de cidadão baririenses do Legislativo

A Câmara de Vereadores concedeu título de cidadão baririense a três médicos e um bioquímico que atuam há anos em Bariri. A votação ocorreu na última sessão ordinária realizada segunda-feira, 5. As homenagens foram aprovadas por unanimidade.
Os agraciados foram o gastroenterologista Luiz Carlos Ferraz do Amaral; a cardiologista Nilza Mara do Amaral Beltramini; o ginecologista Carlos Eduardo Negrão e o farmacêutico bioquímico José Roberto Jorge.
A iniciativa partiu o vereador Evandro Antônio Folieni (PSDB), que solicitou urgência na tramitação dos projetos. Para tanto, as matérias foram votadas na mesma sessão que entraram em pauta.
Até o fechamento da edição, não foi divulgada data da sessão solene de entrega dos títulos.

Históricos

• Luiz Carlos do Amaral é formado pela Universidade Estadual Paulista (Unesp) Botucatu, com residência em cirurgia do aparelho digestivo e pós-graduação em medicina do trabalho. Desde 1993 atuando em Bariri, integra o corpo clínico da Santa Casa de Bariri e da rede básica municipal (hoje em licença). Ainda atende nos plantões à distância no Pronto Socorro. Criou e atua nas empresas Prevent Medicina do Trabalho e Astra Segurança do Trabalho.

• Nilza Beltramini frequentou a Universidade de Ribeirão Preto (Unaerp) no curso de química industrial. Em 1984, ingressou na Universidade de São (USP) de Ribeirão Preto, onde formou-se em 1990. Fez residência médica em cardiologia no Hospital das Clínicas da USP/Ribeirão. Trabalhou nos postos de saúde de Bariri, Itapuí e Itaju, além da Santa Casa de Bariri nos setores da UTI, pronto socorro e clínica médica. Atuou nas UTIs da Santa Casa de São Carlos e Hospital São Francisco de Ribeirão, e nos plantões da Cardio Vida de Bauru e Hospital São Marcos de Jaboticabal. Hoje mantém consultório médico particular.

• Carlos Negrão nasceu em Ibitinga e no ano de 1977 formou-se médico na Fundação Lusíadas da cidade de Santos. Em 1980, mudou-se para Bariri onde desde então exerce aqui a profissão de médico ginecologista, obstetra e ultrassonografia. Já atuou na Santa Casa de Bariri e na rede básica de saúde. Hoje mantém consultório médico particular.

• Roberto Jorge formou-se em Farmácia e Bioquímica na Universidade Estadual Paulista (Unesp) de Araraquara e pós-graduação na Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto. É membro efetivo do Programa Nacional de Controle de Qualidade (PNCQ). Desde 1968 mantém laboratório de análises clínicas em Bariri, que hoje está instalado na Rua Dom Pedro II. Ao seu lado atuam filhos e neta. Foi professor de Química do Colégio e Escola Normal de Bariri (Cene).

Dupla homenagem

O empresário Gilberto Vieira Camargo, 60 anos, recebeu dupla homenagem da Câmara de Vereadores. Ele foi indicado pela comunidade negra de Bariri para receber o Prêmio Zumbi dos Palmares e pelo vereador Luís Carlos de Paula (MDB) para o título de cidadão baririense.
Os dois projetos foram votados e aprovados por unanimidade na última sessão do Legislativo, realizada segunda-feira, 5. Ainda não há data oficial para entrega das homenagens.
Ao lado dos sócios Paulo Galastri, Evaldir Basso e Antônio Graciano, Gil Camargo fundou a fábrica de calçados Anaquel, que por 27 anos manteve sede em Bariri e atuava na região e até no mercado internacional.
Foi durante 12 anos integrante do Conselho Municipal de Desenvolvimento de Bariri. Integrou a diretoria da Associação Comercial e Industrial de Bariri (Acib) e foi o primeiro negro a ocupar a presidência da entidade.
É casado com Márcia Aparecida Giuseppim Camargo e tem três filhos: o professor universitário, Alan Gabriel, o art/designer Alison Daniel e o estudante Jonathan Miguel. Há 33 anos ele e Márcia são palestrantes do curso de noivos e do encontro de casais. Foi catequista e coordenador de Crisma. Atualmente o casal é coordenador da pastoral familiar da Paróquia do Santuário Nossa Senhora Aparecida.
Hoje Gil é presidente do Conselho Municipal de Participação e Desenvolvimento da Comunidade Negra de Bariri e presidente do conselho fiscal da Associação Cultural Quilombo.

Gaby é nome de praça

Outra homenagem votada e aprovada por unanimidade durante a última sessão de Câmara, partiu do vereador João Luiz Munhoz (PSDB). Ele propôs denominar Gabrielli Colombaro Ocon praça pública localizada no Jardim Esperança II.
Gaby nasceu em 2009 e era filha do casal Marcos e Roberta Colombaro Ocon, que também tem a garota Júlia. Em 2012, com três aninhos Gaby foi diagnosticada como portadora de tumor cerebral e hidrocefalia. Submeteu-se a cirurgia e colocação de válvula no cérebro. Foi a primeira de uma série de 24 cirurgias (16 de válvulas e oito retiradas de tumor) que enfrentou ao longo de intensa luta pela vida.
Gaby recebeu tratamento no Hospital Boldrini de Campinas, em Marília e no da Unesp de Botucatu. Em 2015, viajou para os Estados Unidos para ser atendida no Hospital M.D. Anderson. Após exames, a optou-se pela continuidade do tratamento no Brasil. Isso ocorreu no Hospital Albert Einstein.
Nessa ocasião, a possibilidade de cura nos EUA mobilizou boa parte da população de Bariri e algumas cidades da região, através de campanha de arrecadação de recursos. O drama e a luta de Gaby ganharam repercussão na mídia.
Em abril de 2016, após novo tumor mais forte e agressivo ser diagnosticado, Gaby faleceu aos 7 anos de idade.