Slider

Divulgação

O Rotary Club Bariri 16 de Junho realizou ontem (17) distribuição de panfletos para chamar a atenção das pessoas para a vacinação contra a poliomielite. O assunto é comentado nesta entrevista pelo casal que preside o clube no município, Paulo Cesar Slompo e Leda Elisangela Oréfice Slompo.

Segundo eles, o Rotary é uma instituição ecumênica, sem vinculações a ideologias políticas ou doutrinas religiosas. As ações implementadas visam unicamente o bem, a comunidade. O rotariano tem como lema: “dar de si, antes de pensar em si”.

“Caso a comunidade tenha ficado entusiasmada, convidamos a participar desse projeto, e outras atividades que o Rotary Club Bariri 16 de Junho vem desenvolvendo em nossa cidade há mais de 10 anos. Venha servir conosco”, destacam Paulo e Leda.

 

Candeia – Por que o Rotary decidiu aderir à campanha de vacinação contra a pólio?

Paulo e Leda – Atualmente o Rotary tem como uma de suas principais bandeiras o combate à poliomielite, atuação iniciada nos anos 70. O Rotary, através da Fundação Rotária, assumiu o compromisso conjuntamente com outras organizações como a OMS (Organização Mundial de Saúde) em 1988 de erradicar a doença, dando origem à iniciativa End Polio Now. De lá pra cá são milhões arrecadados e aplicados no combate à erradicação da paralisia infantil. Desde 1994 as Américas são áreas livres da doença, persistindo de forma endêmica em algumas regiões da África e da Ásia. Em 2009 as contribuições da Fundação Rotária para a causa atingiram a marca de US$ 800 milhões, a Fundação Bill e Melinda Gates torna-se parceria da iniciativa e doa US$ 355 milhões e desafia o Rotary a conseguir outros US$ 200 milhões, meta atingida meses antes do prazo. Atualmente a poliomielite ainda é endêmica em apenas três países, em regiões dominadas por grupos extremistas, na Nigéria (Boko Haram) e nas fronteiras do Afeganistão com o Paquistão onde atua o grupo Talibã. Desde 1988 até 2014 o número de casos caiu 99%.

 

Candeia – Qual o trabalho desenvolvido pelo Rotary em relação à poliomielite?

Paulo e Leda – O Rotary, com o auxílio da Fundação Rotária e parceiros como a Fundação Bill e Melinda Gates, e desde 2006 com o apoio de diversos Embaixadores (celebridades que apoiam a iniciativa), desenvolvem ações de conscientização e prevenção e financia a vacinação nos países endêmicos. Este ano o cantor Michel Teló estará realizando uma ação apoiando o Rotary Brasil, a partir das 11 horas deste sábado, dia 17, no Youtube: https://bit.ly/3nP9770, para arrecadar doações e conscientizar da importância da vacinação denominada Telepolio.

 

Candeia – Em Bariri, que projeto será realizado? Qual o objetivo desse projeto?

Paulo e Leda – O Rotary Club Bariri 16 de Junho, em consonância com o Rotary Brasil, realizará na manhã de sábado, dia 17, na área central de Bariri, a distribuição de panfletos orientando da importância da vacinação. A data escolhida deve-se ao fato de ser dia “D” na campanha de vacinação. A data internacional do combate à poliomielite é dia 24 de outubro, mas no Brasil o Rotary antecipou suas campanhas para coincidir com o calendário de vacinações. O principal objetivo é difundir a importância da vacinação, pois, diante da globalização, mesmo o Brasil tendo erradicado a doença, a ausência de imunização pode contribuir para o retorno da doença; um bom exemplo são os casos de sarampo ocorridos no Acre, recentemente.

 

Candeia – Para o Rotary, quais as medidas que devem ser tomadas para combater às fake news, que colocam em xeque a importância da vacinação?

Paulo e Leda – A principal ferramenta é a conscientização das pessoas, principalmente dos pais das crianças em idade de vacinação. A vacinação, mais que cumprir uma obrigação, é um ato de preocupação com o futuro e principalmente um gesto de amor!

 

Candeia – Diante da pandemia da Covid-19, como incentivar a vacinação e outras medidas de saúde?

Paulo e Leda – A própria situação da pandemia ressalta a importância das vacinas. E das medidas básicas de prevenção e necessidades de hábitos de higiene e cuidados pessoais.