Slider

Lançamento do Observatório Fiscal ocorreu no dia 20 de setembro na Sala de Reuniões da Presidência do TCE – Divulgação/Tribunal de Contas do Estado

O Tribunal de Contas do Estado de São Paulo (TCE) lançou na sexta-feira, dia 20, na Sala de Reuniões da Presidência, na capital, o Observatório Fiscal – ferramenta que permite ao cidadão, monitorar, on-line, a gestão dos recursos públicos no Estado e nos municípios.
A nova plataforma está disponível no site oficial do TCE por meio do link http://www.tce.sp.gov.br/observatoriofiscal.
Em relação à prefeitura de Bariri, a ferramenta permite observar que as receitas e as despesas de janeiro a julho deste ano praticamente estão no mesmo patamar (confira quadro).
Nesse período o município arrecadou R$ 59,731 milhões. Os gastos totalizaram R$ 59,727 milhões. Esse foi um dos motivos que levaram a administração municipal a publicar decreto na semana passada para reduzir despesas, como horas extras, material de consumo e contratos em vigor.
Na região, apenas Itapuí registrou gastos maiores em comparação às receitas. A maioria dos municípios está gastando menos do que arrecadam.

Informações

A apresentação do Observatório Fiscal, feita pelo Presidente do TCE, conselheiro Antonio Roque Citadini, contou com a presença do conselheiro Renato Martins Costa; do Procurador-Geral do Ministério Público de Contas (MPC), Thiago Pinheiro Lima; do Secretário-Diretor Geral, Sérgio Ciquera Rossi e dos Diretores dos departamentos e diretorias do órgão.
No Observatório Fiscal é possível o acesso a informações sobre origens da receita – impostos, taxas e contribuições de melhoria, transferências correntes, contribuições, entre outros dados – e acesso às despesas efetuadas pelo governo estadual e pelos municípios, segmentadas por área e programas.
De linguagem clara e navegabilidade fácil, a ferramenta será atualizada bimestralmente e servirá como um painel de acompanhamento da gestão dos recursos públicos. De forma interativa, o interessado pode acessar a plataforma por meio da internet – em computadores, tablets e smartphones.
Além dos painéis com dados do governo estadual e dos municípios, a ferramenta ainda dispõe do campo ‘Mapa das Receitas’ – que mostra a origem dos recursos disponibilizados aos municípios – Imposto Sobre Serviços (ISS), Imposto sobre Transferência de Bens (ITBI), Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU), taxas e contribuições de melhorias –, e transferências da União e Tesouro do Estado.

Dados de Bariri do Observatório Fiscal

Item                                                                             2017                           2018                           2019*

Receita                                                                          R$ 93,203 milhões     R$ 97,004 milhões     R$ 59,731 milhões

Despesa                                                                        R$ 91,731 milhões     R$ 95,436 milhões     R$ 59,727 milhões

Percentual de aplicação na Saúde                                 27,79%                      26,88%                      30,60%

Percentual de aplicação na Educação                            37,65%                      37,28%                      40,44%

Percentual de aplicação do Fundeb no Magistério        98,49%                      97,89%                      97,63%

Contratos assinados                                                     30                               34                               47

Valor dos contratos                                                      R$ 55,401 milhões     R$ 39,174 milhões     R$ 37,456 milhões

Total de alertas emitidos                                               42                               24                               19

* Referência: julho/2019

Fonte: Tribunal de Contas do Estado

Comparativo de receitas e despesas de prefeituras da região em 2019

Município               Receita*                          Despesa*

Bariri                      R$ 59,731 milhões          R$ 59,727 milhões

Barra Bonita          R$ 75,531 milhões          R$ 64,922 milhões

Bauru                     R$ 796,962 milhões        R$ 730,044 milhões

Bocaina                  R$ 23,789 milhões          R$ 21,843 milhões

Boraceia                 R$ 13,072 milhões          R$ 12,789 milhões

Dois Córregos        R$ 48,509 milhões          R$ 41,725 milhões

Ibitinga                  R$ 93,922 milhões          R$ 79,749 milhões

Itaju                       R$ 9,515 milhões            R$ 8,604 milhões

Itapuí                     R$ 27,430 milhões          R$ 28,718 milhões

Jaú                          R$ 235,829 milhões        R$ 210,656 milhões

Pederneiras            R$ 83,626 milhões          R$ 73,233 milhões

* Referência: julho/2019

Fonte: Tribunal de Contas do Estado