Slider

A prefeitura de Bariri optou por não receber recursos de R$ 150 mil para aquisição de Castramóvel. Trata-se de uma unidade cirúrgica móvel para castração de cães e gatos.

A emenda foi disponibilizada pelo deputado federal Baleia Rossi (MDB-SP), por intermédio do vereador Leandro Gonzalez (PPS).

O pedido do vereador foi feito em encontro realizado em Taquaritinga em meados deste ano. Também estiveram na reunião o vereador Luis Carlos de Paula (MDB), o Paraná, Airton Pegoraro (MDB), e Claudenir Rodrigues (Fredy).

Segundo Pegoraro, que é veterinário e foi candidato a prefeito de Bariri em 2016 e em junho deste ano, após a liberação dos recursos pelo Ministério da Saúde, caberia à prefeitura a elaboração de projeto para recebimento do dinheiro.

Num dos últimos andamentos do convênio constou que a proposta de aquisição do Castramóvel estava adequada para reanálise técnica de mérito.

Pegoraro entende que faltou vontade política de resolver a questão. “Se houve problemas no projeto deveria ter sido feito contato com a assessoria do deputado para os ajustes necessários”, diz e acrescenta que a perda da verba traz prejuízo para a população baririense.

Bocaina

A vice-prefeita de Bariri, Maria Pia Betti Pio da Silva Nary, que agora ocupará o cargo de diretora municipal de Saúde, comentou ao Candeia na manhã de terça-feira, dia 11, que a administração municipal optou por castrar animais por veículo próprio que a prefeitura de Bocaina deverá receber.

Trata-se de uma emenda do deputado federal Ricardo Izar (PPS) para que aquele município tenha uma unidade móvel.

Segundo ela, o parlamentar mencionou a ela que o Castramóvel de Bocaina poderá ser compartilhado com Bariri.

Pelo porte das duas cidades, a expectativa é que a unidade móvel atenda a demanda dos dois municípios.

A diretora de Saúde ressalta que uma vantagem adicional do ponto de vista financeiro para Bariri é que não precisará dispor de um local para abrigar o Castramóvel.

Chefe de setor comenta pedidos de verba

A pedido do Jornal Candeia, o chefe Administrativo e Financeiro da Saúde em Bariri, Rodolfo Ruan Tenório da Silva, encaminhou posicionamento sobre os pedidos de verba para a aquisição de Castramóvel.

Segundo ele, foram apresentadas duas propostas pela prefeitura em relação ao pedido de R$ 150 mil.

A primeira delas, apresentada pela gestão passada, foi negada e deveria ter sido reenviada, mas não foi.

A segunda foi encaminhada pelo atual governo após o dia 5 de julho, levando quase quatro meses para ser respondida.

De acordo com Silva, o parecer não foi favorável porque a emenda teria sido solicitada para controle de ocorrências de zoonoses.

“Nosso município atualmente não possui ocorrências de zoonoses, devemos deixar claro que zoonose é um termo da medicina que designa as doenças ou infecções transmitidas para o homem através dos animais”, diz o chefe do setor.

“Assim, como não há justificativa fundamentada caracterizando o município minimamente em relação a ocorrência de zoonoses, bem como vincular o uso do equipamento pretendido para esta finalidade, o parecer técnico foi não favorável”.

O setor telefonou para a Secretaria de Vigilância em Saúde. O técnico responsável apontou o motivo pelo qual a solicitação não poderia ser atendida. Segundo Silva, “não podemos fazer a aquisição do mesmo, pois a emenda foi solicitada para uma necessidade que não cabe ao nosso município”.

O chefe do setor aponta que o governo anterior perdeu recurso de R$ 50 mil porque não apresentou projeto destinado para controle da população canina e felina.