Slider

Ricardo Prearo presidiu Câmara de Bariri no biênio 2011/2012: nome de consenso entre vereadores da situação

O vereador Ricardo Prearo (DEM) deve ser o próximo presidente da Câmara para o biênio 2019/2020. Ele comandou a Casa de Leis no biênio 2011/2012.
A eleição para a Mesa Diretora do Legislativo está prevista para ocorrer na última sessão ordinária do ano, marcada para 3 de dezembro.
Nesta semana o Candeia conversou com políticos da situação e da oposição. Pelo lado da situação há consenso em torno do nome de Prearo. Ele mesmo diz que será candidato a presidente da Câmara. Benedito Antonio Franchini (PTB) relatou que o nome do grupo é Prearo.
Conforme a atual composição do Legislativo, a situação tem cinco votos contra quatro da oposição.
O regimento interno estabelece que uma chapa deve ser composta por quatro nomes: presidente; vice-presidente; primeiro-secretário; e segundo-secretário. O tesoureiro é vereador nomeado pelo presidente eleito.
Dessa forma a oposição poderia lançar chapa para a disputa. Os vereadores Armando Perazzelli (PV) e Leandro Gonzalez (PPS) comentam que devem se reunir para discutirem o caminho que será trilhado. Caso decidam lançar chapa teriam de contar com pelo menos um voto da situação para saírem vencedores da disputa.

Justiça

A configuração de forças na Casa de Leis era a mesma em 1º de janeiro de 2017, quando houve votação para eleição da Mesa Diretora da Câmara para o biênio 2017/2018, no entanto, o então vereador Paulo Henrique Barros de Araujo lançou candidatura e conseguiu ser eleito com os votos da oposição – vereadores eleitos pelos grupos de Airton Pegoraro (MDB) e de Wellington Pollonio Bof, o Parraguinha (PSD).
Naquela época, quem fosse eleito presidente da Câmara automaticamente assumiria o comando da prefeitura.
Isso porque Francisco Leoni Neto (PSDB) e Benedito Mazotti (PSDB) não haviam sido diplomados e empossados em pleito realizado em outubro de 2016. O motivo é que o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) de São Paulo cassou o registro da candidatura de ambos porque o candidato a vice-prefeito foi enquadrado na Lei da Ficha Limpa.
Os tucanos apresentaram recurso especial no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Somente em novembro de 2017 o órgão sediado em Brasília julgou o caso, negando provimento a dois recursos (agravos regimentais) ajuizados por Neto Leoni e Mazotti.
Com essa decisão, prevaleceu entendimento do TRE para a realização de eleição suplementar em Bariri, ocorrida no início de junho deste ano.
Caso Prearo seja escolhido o próximo presidente da Câmara de Bariri, ele será o quinto político a assumir a cadeira na atual legislatura.
Araujo foi eleito presidente do Legislativo, mas com sua ida ao Paço 16 de Junho, assumiu o cargo Vagner Mateus Ferreira (PSD). Ele comandou a Câmara até abril deste ano, quando Araujo foi preso sob acusação de estupro de uma menina de 8 anos em Bauru.
Como Vaguinho assumiu o cargo de prefeito interino, o primeiro secretário, Luís Carlos de Paula (PMDB), o Paraná, foi empossado como presidente da Mesa Diretora da Câmara.
Assim que Neto Leoni tomou posse como prefeito de Bariri, o Legislativo passou a ter seu quarto presidente: Rubens Pereira dos Santos (PSDB), que fica no cargo até o fim deste ano.