Composição 1_1
Composição 1_1

 

“Nesse período de isolamento é normal que as pessoas fiquem mais ansiosas e confundam fome física com fome emocional” – Keli Daiane Bortholazzi

 

O período de quarentena por causa da pandemia do novo coronavírus (Covid-19) mudou a rotina de muita gente. Um dos efeitos do distanciamento social é a maior ingestão de alimentos. Para a nutricionista clínica e esportiva Keli Bortholazzi, é importante que sejam mantidas as rotinas de horários antes da quarentena. Segundo ela, a ansiedade nesse período pode confundir fome física com fome emocional. Na entrevista, Keli dá dicas para manter o peso e o que é necessário ser feito após o período de pandemia. Também alerta os pais no cuidado com a alimentação com as crianças. A nutricionista atua nessa área há 14 anos. É autora do livro “Longevidade – O diário da Vida Saudável”, nutricionista do programa Alimente-se Bem do Sesi, de 2007 a 2011, e proprietária da Clínica Nutribem e da Nutribem – Alimentos, Suplementos & Saúde.

 

Candeia – Por causa da quarentena, muitas pessoas estão ficando em casa por mais tempo. Que dicas daria para que esse período não represente quilos a mais?

Keli – Nesse período de isolamento é normal que as pessoas fiquem mais ansiosas e confundam fome física com fome emocional. Não é o momento de grandes restrições calóricas e sim manutenção do peso para conseguirmos manter nossa imunidade em alta e prevenir doenças. Para isso, a manutenção da rotina de horários antes da quarentena é essencial. Procure realizar suas refeições nos mesmos horários, criar rotina para atividade física em casa, manter o horário de dormir e acordar e aproveitar esse tempo livre para testar receitas fit, praticar uma meditação ou ioga, colaborando no controle da ansiedade e compulsão.

 

Candeia – Que tipos de alimentos devem ser consumidos para que a pessoa tenha saúde e não engorde?

Keli – Optar por alimentos mais naturais e menos industrializados para o bom funcionamento do sistema imunológico e manutenção do peso. Aumentar o consumo de alimentos ricos em triptofano, (aminoácido essencial) que aumenta a produção de serotonina no sistema nervoso central. A serotonina é um neurotransmissor importante que regula o humor, o apetite e o sono, sendo muitas vezes utilizado para tratar casos de depressão ou ansiedade. Exemplos de alimentos: banana, castanhas, aveia, arroz integral, cacau em pó, sementes de girassol.

 

Candeia – Nesse contexto, um desafio é deixar as crianças longe da geladeira. Como atingir esse objetivo?

Keli – Com as crianças em casa a criatividade deve ser aumentada. Existem muitas dicas em redes sociais hoje de nutricionistas com especialização em nutrição infantil, mas seguem algumas dicas: desenvolver brincadeiras como recorte e cole com frutas; montar quebra-cabeças; imprimir desenhos para pintura; fazer uma horta em casa; as opções são inúmeras para distrair a criançada. E que tal inseri-las no preparo de receita saudável? Quando a criança está inserida no preparo da receita, ajudando preparar um bolo ou uma simples vitamina é mais fácil ela aceitar a provar novos alimentos saudáveis.

 

Candeia – Em seu ramo de atuação, após o início do distanciamento social, quais as maiores queixas que você tem ouvido em seus atendimentos?

Keli – As maiores queixas são a ansiedade e descontrole ao ingerir alimentos mais calóricos e bebidas alcoólicas. A insegurança de perder um emprego, o medo do vírus tem aumentando o consumo de álcool criando um futuro problema quando toda a pandemia passar. Com aumento de carboidratos simples como pães e doces, o cérebro tende a viciar mais rápido e logo pedir mais virando um ciclo vicioso até gerar a compulsão alimentar. Nessa fase, se o indivíduo não está conseguindo manter a calma e o plano alimentar sozinho, sendo importante manter ou dar início ao acompanhamento nutricional e psicológico através do atendimento on-line ou presencial.

 

Candeia – Há alguma orientação especial para ter ganho preventivo, como melhoria do sistema imunológico?

Keli – Para melhora e manutenção do sistema imunológico, o mais importante é manter uma rotina alimentar saudável, exercícios moderados, controle do estresse e um sono reparador (7 a 8 horas por dia). Acrescente também o consumo de própolis verde, cúrcuma em pó, gengibre em pó, vinagre de maçã 5% de acidez, glutamina, limão em receitas ou shots matinais com água em jejum. É importante consultar um nutricionista para tirar dúvidas.

 

Candeia – Para quem tem mais de 60 anos, como manter uma alimentação equilibrada e com qualidade?

Keli – Pessoas com mais de 60 anos estão no grupo de risco e devem seguir as orientações dadas, além de adequar a quantidade de vitaminas e minerais, como ferro, cálcio, magnésio, vitamina C. O cálculo de calorias e nutrientes é individual, de acordo com idade, sexo, atividade física, biótipo, patologias e peso atual e deve ser calculado pelo profissional nutricionista.

 

Candeia – Quais suas dicas alimentares após o período de quarentena, quando as atividades comerciais, escolares etc. voltarem ao normal?

Keli – O importante após a quarentena é voltar urgente ao plano alimentar e atividade física que estavam acostumados e, junto do nutricionista, ir ajustando e traçando novas estratégias, dar continuidade ao emagrecimento ou recuperar os quilos que aumentaram nesse período. Esse momento não é adequado a grandes restrições e nem cobranças, pois vale lembrar que o estresse diminui a imunidade, aumentando as chances do contágio principalmente pacientes do grupo de riscos como diabéticos, hipertensos e obesos.