Slider

Isabel Aparecida Papotti Pegorin

Ficou na minha memória, eu Isabel, tudo o que os meus professores ensinaram! A mais marcante foi a professora Luzia Cavalheiro.
Meus pais foram meus primeiros professores, me educaram e eu sempre fiz tudo o que me ensinaram com muito amor!
Eu morava no sítio a dois quilômetros de distância da escola. Ia todos os dias a pé e não queria faltar da aula de maneira alguma. A escola do Bairro Queixada foi a minha primeira e única escola.
Pois bem, Dona Luzia foi por quase três anos a minha professora. Não só professora, minha mestra, porque depois dos meus pais e avós me ensinou tudo com muito carinho.
Era uma amizade muito sincera. Eu também ajudava minha professora em tudo.
A escola do sitio ia até o quarto ano e, quando terminei, não havia mais possibilidade de estudos, pois, naquela época, não havia transporte escolar.
Para minha admiração, no final do quarto ano, Dona Luzia foi até a minha casa no sítio, de surpresa, pedir para meus pais deixarem eu morar na casa dela para continuar meus estudos na cidade.
Meu pai foi muito humilde e disse que não podia, pois tinha mais dois filhos.
Dona Luzia, há pessoas que marcam a nossa vida, que despertam algo especial em nós, que abrem nossos olhos e transformam a nossa maneira de ver! Você foi uma dessas pessoas!

Isabel Aparecida Papotti Pegorin

NR: Com a iminente demolição do prédio da escola do Bairro Queixada, histórias e memórias baririenses, como a da professora Luzia e de sua aluna Isabel, tendem a se perder para sempre. Lamentável.

Professora Luzia Cavalheiro