Slider

Vereador Leandro Gonzalez na sessão de terça-feira: sugestão para que prefeitura encaminhe projeto à Câmara – Robertinho Coletta/Candeia

Alcir Zago

 

A Diretoria Municipal de Educação fez pesquisa junto aos pais de alunos para saber a opinião deles sobre o retorno ou não das aulas presenciais. E uma das questões abordava se o estudante tinha ou não acesso à internet na residência.

Conforme o levantamento, 13,5% dos alunos não contam com a ferramenta tecnológica. De um universo de aproximadamente 2,8 mil pais que responderam ao questionário, 380 relataram que não têm acesso à internet.

Diante da pandemia do novo coronavírus, com aulas presenciais suspensas desde meados de março, o uso de equipamentos como computador, tablet ou celular permitiu diminuir o déficit educacional pela falta tanto da interação entre professor e alunos, quanto do ambiente proporcionado pela presença dos educandos nas unidades.

Recentemente, o vereador Francisco Leandro Gonzalez (Cidadania) apresentou projeto de lei para obrigar a prefeitura a oferecer acesso gratuito à internet a alunos da rede oficial de ensino, que engloba escolas municipais e estaduais em Bariri.

Segundo a proposta, o benefício tem caráter emergencial e temporário, uma vez que deve durar até o término da suspensão de atividades presenciais nas unidades escolares, devido à pandemia de Covid-19.

O projeto não traz levantamento do impacto financeiro sobre os cofres públicos, se a matéria for aprovada. Prevê, no entanto, que as despesas decorrentes da execução da matéria serão de responsabilidade do poder público, consignadas no orçamento e suplementadas se necessário.

Na sessão de terça-feira (8) Gonzalez voltou a tratar do assunto. De acordo com ele, a suspensão das aulas presenciais até o fim do ano letivo torna ainda mais necessária a oferta de acesso à internet grátis para alunos que necessitem.

O vereador defende que o próprio Executivo encaminhe proposta à Câmara para que não haja discussão sobre o impacto orçamentário e a quem deve partir a iniciativa de encaminhar projeto para oferecer o recurso tecnológico.

 

Atividades manuscritas

 

Sobre o assunto, a Diretoria Municipal de Educação explica que no dia da entrega do Kit Merenda pais ou alunos recebem portfólio das atividades manuscritas que precisam ser executadas.

No mês seguinte, quando novamente o kit é retirado, o material é devolvido. Cabe aos professores imprimir e preparar as atividades.

Apostilas e material escolar, como tinta, papel e cola, também são encaminhados aos estudantes.

Em outra ocasião, a pasta relatou ao Candeia que, com as aulas remotas e online, o setor havia solicitado novos equipamentos, para melhor atender o alunado.

Em junho já foi feito pedido para instalação de um ponto de internet de fibra ótica em cada unidade escolar para melhor desenvolvimento do ensino remoto. O desafio é fazer com que o estudante tenha acesso ao conteúdo.