Slider

Área de transbordo em Bariri fica na SP-304, entre Bariri e Itaju – Arquivo/Candeia

A prefeitura de Bariri marcou para o dia 26 de abril licitação (pregão presencial) para contratar empresa para operação do transbordo e transporte dos resíduos gerados pelo município em aterro sanitário e industrial.

O valor estimado para a contratação dos serviços é de R$ 730,8 mil por um período de 12 meses, sendo R$ 60,9 mil por mês. A quantidade estimada de lixo é de 700 toneladas por mês.

Conforme o edital, a empresa contratada deverá possuir e apresentar licenciamento específico para transportes terrestres para esse tipo de material, entre outras exigências.

O transbordo deverá ser realizado diariamente (exceto domingos e feriados) na área localizada na Rodovia SP-304 (Bariri-Itaju) e de acordo com o esgotamento da capacidade do container, sendo que a permanência dos resíduos sólidos urbanos na área destinada para transbordo pelo município não poderá exceder o prazo de 24 horas.

Com a interdição do lixão de Bariri pela Companhia Ambiental do Estado de São Paulo há mais de uma década, o município passou a contratar três serviços relacionados aos resíduos sólidos.

O primeiro é a coleta em todos os imóveis até área entre Bariri e Itaju. Quem presta esse serviço é a empresa Mazo & Giacon.

O segundo (transbordo) consiste em levar o lixo até empresa responsável pela destinação final.

O terceiro é justamente dar o destino final aos resíduos. A prestação desse serviço é feita pela CGR Guatapará, em Piratininga. A distância (ida e volta de Bariri até essa cidade) é de 157 quilômetros.