Slider

Administração municipal alega que atraso deve-se à exigência de documentos pela Caixa – Divulgação

 

A prefeitura de Bariri está dando andamento ao convênio para recapeamento asfáltico em ruas do município. Os processos licitatórios foram realizados no ano passado, por meio de concorrências, tendo como vencedora a empresa N.J. Caetano Empreendimentos Imobiliários LTDA. São ao todo cinco contratos, totalizando um investimento de aproximadamente R$ 2,2 milhões.

O convênio prevê o recapeamento de diversas ruas da cidade, localizadas nos bairros Jardim Maravilha, Jardim Industrial, Centro, Jardim Santa Clara, Jardim São Francisco, Santa Helena, Vila Americana, Jardim Alvorada, Livramento, entre outros.

Os recursos para realização dos serviços são disponibilizados pelo governo federal e repassados ao município pela Caixa Econômica Federal.

No entanto, é preciso que a administração municipal apresente projeto de recape asfáltico e entregue toda a documentação exigida pela Caixa, para que os valores sejam liberados.

Os documentos precisam ser enviados por meio da Plataforma Brasil, base nacional unificada utilizada na gestão de convênios e contratos de repasses federais, sendo possível iniciar as obras previstas após a aprovação dessa documentação.

No ano passado, as primeiras etapas desse processo chegaram a ser feitas pela prefeitura, porém, a documentação apresentada estava incompleta, inviabilizando a liberação dos recursos. Desse modo, os serviços de recapeamento asfáltico contemplados pelos contratos nem chegaram a ser iniciados.

Desde o início do ano, o Executivo retomou as tentativas para continuidade do processo, apresentando o projeto de recapeamento solicitado, cronograma e realizando novo envio dos documentos exigidos.

Segundo o diretor municipal de Infraestrutura, Jessé Prado Lyra, a documentação já está em análise pela Caixa Econômica Federal e há previsão de liberação dos recursos para o mês de maio.

 

Cobrança

 

Na edição de sábado (1º), na coluna Samburá, o Candeia publicou requerimento de autoria do vereador Ricardo Prearo (PDT) que questiona o motivo pelo qual a atual administração interrompeu obras de recapeamento asfáltico iniciadas em 2020.

Segundo ele, foram licitadas aproximadamente 50 ruas e avenidas que seriam contempladas com asfalto novo. São aproximadamente R$ 2,3 milhões de investimento em infraestrutura.

“Fiscalizando a fundo, detectei que não existe motivo técnico plausível para a interrupção da obra, sendo que todo trâmite administrativo já está concluso desde o final do ano passado. Falta apenas a ordem de serviço para retomar as obras, o que aumenta ainda mais o descaso com a população que tanto clama por essas melhorias”, justifica o vereador. O requerimento deve ser lido e votado na sessão desta segunda-feira (3).