posto-santa-lucia-novo-2017
Banner-Lista-Candeia
Banner-online
WhatsApp Image 2020-07-06 at 08.28.31
Banner-Cep

Uma das lagoas da ETE em Bariri: coleta e tratamento de esgoto desde 2008 – Arquivo/Candeia

O Água Limpa, programa de saneamento implementado pelo Departamento de Águas e Energia Elétrica (DAEE), completa 15 anos de operação em 2020 com a marca de 128 Estações de Tratamento de Esgoto (ETEs) construídas em 121 municípios paulistas, Bariri entre eles, que conta com sistema de tratamento de esgoto desde 2008.

Com a iniciativa, 3.660 toneladas por mês de carga orgânica deixaram de ser despejadas por meio do esgoto in natura nos cursos d´água do Estado.

O foco é em cidades com até 50 mil habitantes não operadas pela Sabesp e que não possuem serviço autônomo. O DAEE elabora projetos e realiza obras e serviços destinados ao afastamento e tratamento de esgoto sanitário doméstico. Até maio deste ano, foram investidos R$ 607 milhões, beneficiando 2,8 milhões de pessoas.

A última entrega ocorreu em dezembro de 2019 em Itapuí. A obra teve investimento de R$ 12,3 milhões e trata 100% do esgoto da cidade. Até então, cerca de 26 toneladas por mês de carga orgânica eram lançadas sem tratamento no córrego Bica, afluente do Rio Tietê.

“É importante destacar que não só o município que recebe a obra é beneficiado com o tratamento do esgoto. Os ganhos ambientais se estendem a outras cidades que fazem parte daquela bacia hidrográfica.”, explica o superintendente do DAEE, Francisco Eduardo Loducca.

Vale ressaltar que o tratamento de esgoto, além de ter impactado diretamente nos indicadores de saúde pública, levou ao fortalecimento de setores socioeconômicos, como pecuária, agricultura e indústria, gerando, consequentemente, emprego e renda nas bacias hidrográficas onde houve instalação de ETEs.

Em 2012, por exemplo, Itirapina foi beneficiada com uma Estação de Tratamento de Esgoto com capacidade para tratar 100% dos dejetos do município. Em 2019 recebeu as instalações de uma multinacional japonesa produtora de automóveis após a construção de um emissário que liga diretamente o Distrito Industrial da cidade à ETE.

Iracemápolis foi outro município contemplado com as melhorias de infraestrutura urbana promovidas pelo Água Limpa. Após o convênio para construção de um conjunto de obras de saneamento que atenderia o Distrito Industrial, uma fábrica alemã de carros se instalou na cidade em 2016, gerando centenas de postos de trabalho.

As melhorias chegam também no segmento de produção energética – a partir das usinas hidrelétricas com reservatórios menos assoreados – e no setor de lazer e entretenimento, com práticas esportivas em lagos e represas. É o caso dos municípios de Mendonça, Sabino, Sales, Ibitinga e Barra Bonita.

“Apesar do maior número de pessoas estar nos grandes centros urbanos, nosso foco em saneamento é a zona rural. Nosso esforço se concentra nas nascentes e na qualidade das águas dos rios, porque é ali que vamos trabalhar o desenvolvimento que irá para a zona urbana”, explica o coordenador do Programa Água Limpa, Lupércio Ziroldo Antonio.

 

Parceria

 

Com o objetivo de ser o primeiro estado a universalizar o saneamento básico no Brasil, o Governo de São Paulo, por meio do DAEE e da Secretaria da Saúde, criou em 2005 o Programa Água Limpa.

A iniciativa atende a quatro dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) do apelo universal da Organização das Nações Unidas (ONU) para transformar o mundo: Água Limpa e Saneamento, Boa Saúde e Bem Estar, Redução das Desigualdades e Cidades e Comunidades Sustentáveis.

 

Fonte: Departamento de Águas e Energia Elétrica