Slider

Membros do Conselho Municipal da Saúde em reunião realizada segunda-feira: discussão sobre ambulâncias e pronto-socorro – Alcir Zago/Candeia

O Conselho Municipal de Saúde realizou na tarde de segunda-feira, dia 28, na Sala de Licitações da prefeitura de Bariri, a primeira reunião ordinária do ano.
Na ocasião, o presidente do conselho, Rodrigo Felício Zanuto de Oliveira, informou que encaminhou ofício ao prefeito Francisco Leoni Neto (PSDB) pedindo esclarecimentos quanto ao fato de ambulâncias estarem rodando com pneus carecas.
O assunto foi objeto de matérias jornalísticas na semana passada. Segundo ele, conforme a resposta do Executivo o conselho poderá acionar o Ministério Público (MP).
Oliveira acredita que na próxima reunião, marcada para o dia 25 de fevereiro, haverá uma definição sobre o posicionamento que o conselho irá adotar.
A prefeitura de Bariri informa que a compra dos pneus foi feita no dia 25 de janeiro. A previsão é que os itens fossem entregues ontem, dia 1º. A troca dos pneus será feita assim que a remessa for feita.

Pronto-socorro

Outro assunto tratado na reunião foi com relação ao pronto-socorro (PS). A transferência do serviço para a ala onde funciona a maternidade foi descartada por falta de recursos financeiros.
Representantes do conselho entendem que o PS pode melhorar o atendimento com pequenas intervenções e ampliação. O acesso ao interior da Santa Casa e à sala de raio X, por exemplo, é complicado por causa de rampa existente entre os dois setores.
Uma ideia discutida na reunião é que a triagem de pessoas que chegam ao serviço emergencial fosse feita em outra sala e não no interior do PS.
Há consenso de que muitos dos casos atendidos no local poderiam ser resolvidos no serviço básico de saúde, como o Estratégia Saúde da Família (ESF).
Membros do conselho entendem que a Diretoria Municipal de Saúde poderia informar se o número de agentes comunitários é suficiente e se os profissionais estão realizando trabalho de busca ativa nas residências.
A identificação de algumas doenças, como diabetes e pressão alta, faria com que o paciente recebesse o atendimento adequado e evitaria sobrecarga no PS em momentos de complicações no quadro de saúde das pessoas.