Slider

Foi feito drive thru (através do carro) para vacinação no pátio da Vigilância Epidemiológica e na UBS da Nova Bariri – Divulgação

De acordo com a enfermeira Neusiely Podanoschi, coordenadora da Campanha Nacional de Vacinação Contra a Gripe (H1N1) em Bariri, já foram aplicadas 4.732 doses no município. Dessas, 359 doses imunizaram profissionais da Saúde e 4.373 idosos.

Os dados retratam situação até dia 3, sexta-feira, às 8h. Ainda há doses da vacina para serem aplicadas. São seis postos de vacinação em Bariri: Centro de Diagnose Dr. José Dorly Borges; Programas Saúde da Família (PSF 1, 2, 3 e 4) e Unidade Básica de Saúde (USB) no Jardim  Nova Bariri.

Segundo Neusiely não houve aglomerações para a vacinação nos últimos dias. Uma experiência deu resultado e deve ser mantida:  foi feito drive thru (através do carro) para vacinação no pátio da Vigilância Epidemiológica e na UBS da Nova Bariri. O horário de início das vacinações é a partir das 7h e vai até às 17h.

Ainda de acordo com a enfermeira, essa semana a equipe do Centro de Diagnose realizou vacinação em domicílio dos idosos, em especial os acamados.

 

Conscientização

 

Uma preocupação da equipe, segundo a coordenadora, é conscientizar a população que a vacina contra a gripe H1N1 não imuniza contra o coronavírus (Covid 19), portanto, não diminui o risco de contágio na pandemia que o mundo enfrenta.

Então, é essencial que a população continue adotando medidas de controle e prevenção contra o Covid 19, como o isolamento social, uso de máscaras e a higienização por álcool gel e/ou 70.

 

Público alvo

 

O primeiro grupo, formado por idosos, trabalhadores da saúde e integrantes das forças de segurança e salvamento, têm até o dia 14 de abril para buscar a imunização.

O segundo grupo, que deve ser imunizado de 16 de abril a 8 de maio, engloba professores, pessoas portadoras de doenças crônicas e força de segurança e salvamento

Por último, de 9 a 22 de maio, serão vacinadas crianças de 6 meses a 6 anos incompletos (5 anos, 11 meses e 29 dias); gestantes; puérperas (mulheres que tiveram um filho nos últimos 45 dias) povos indígenas; Adultos com 55 a 59 anos; População privada de liberdade Funcionários do sistema prisional; e Pessoas com deficiências.

Segundo o Ministério da Saúde, em 2020 a vacinação foi antecipada em quase um mês devido à confirmação dos casos de infecção pelo novo coronavírus no Brasil