posto-santa-lucia-novo-2017
pró_sp3-01

Luana Souza Alves de Lima foi morta com golpes de faca no domingo (10) Divulgação/redes sociais

W. L. S, 25 anos, foi indiciado pela Polícia Civil por latrocínio (roubo seguido de morte). A pena prevista para esse crime é de 20 a 30 anos de reclusão.
Ele é acusado de ter provocado a morte de Luana Souza Alves de Lima, 22 anos, no domingo (10) em Itaju.
De acordo com o delegado Marcílio César Frederici de Mello, que responde pelo inquérito, a motivação para a morte da jovem está relacionada à questão patrimonial e, por esse motivo, foram descartados crimes de homicídio ou feminicídio. W. confessou a autoria do delito.
Ambos moradores de Itaju, autor e vítima eram primos e tinham bom relacionamento familiar. Ele é viciado em entorpecentes e costumava ausentar-se de casa por conta da dependência química.
No sábado (9) e no domingo (10) W. teria usado drogas, tendo ido mais tarde à casa da prima, no bairro José Nereu Marquez, em Itaju.
Num dado momento, ele pegou uma faca e matou Luana, levando R$ 188,00 que ela possuía. Em seguida, com o uso de faca, roubou veículo Chevrolet Omega de cor azul. O suspeito foi visto no trevo de Itaju, seguindo sentido Ibitinga.
De acordo com o delegado, no mesmo dia do crime, com informações que levavam a W. como tendo sido o autor do delito, houve o pedido de prisão preventiva do acusado, o qual foi deferido pela Justiça.
No dia seguinte ele foi detido pela Polícia Militar (PM) em Ibitinga. W. encontra-se preso. Marcílio Mello conta que o inquérito será remetido ao Ministério Público (MP) nos próximos dias, a quem cabe oferecer a denúncia criminal.
A jovem foi sepultada na segunda-feira (11) no Cemitério Municipal de Itaju. Ela tinha dois filhos.