Composição 1_1
Composição 1_1

A prefeitura de Bariri ingressou na Justiça com ação de ressarcimento por danos materiais contra a Construtora MLX Ltda., de Nova Europa. O município pede ressarcimento de R$ 6 mil por ter arcado com pagamentos dos reparos necessários no reservatório de água Creche Professora Leonor Mauad Carreira, situada na Avenida Perimetral Domingos Antonio Fortunato.
A empresa venceu licitação em 2013 para construção da unidade de ensino. Concluída a obra, a Diretoria Municipal de Obras e Meio Ambiente detectou a presença de diversos defeitos construtivos, incluindo o vazamento no reservatório de água da creche municipal.
O setor encaminhou três notificações à MLX em 2016 para que providenciasse os reparos, mas sem êxito.
Pela urgência do serviço, a administração municipal contratou os serviços da BBN Construções Montagem e Impermeabilização Ltda, pagando R$ 6.000,00 à firma. É justamente esse valor que a prefeitura cobra da MLX na Justiça. A reportagem tentou entrar em contato com a empresa, mas não conseguiu retorno.

Vazamentos

Os vazamentos no reservatório foram objeto de matéria do Candeia em outubro do ano passado.
Na ocasião, o diretor municipal de Obras, Márcio Nascimento, explicou que a caixa foi feita com anéis de concreto encaixados um no outro. Os vazamentos nas juntas não são raros, mas com o tempo eles cessam. Essa situação já foi observada em outras unidades de ensino de Bariri.
No caso da caixa da creche Leonor as duas impermeabilizações feitas pela Construtora MLX não surtiram efeito.
Como a empresa entrou em falência, a prefeitura decidiu contratar firma especializada para consertar o vazamento.
Nascimento disse à época que o Executivo deveria ingressar com ação judicial para que os sócios da MLX arcassem com os custos do serviço. A obra tem garantia de cinco anos.
A prefeitura contratou a MLX para construir a creche no fim de 2013. O valor da concorrência foi de R$ 1,2 milhão. O dinheiro foi repassado pelo governo estadual, dentro do Programa Creche-Escola. A obra foi entregue em janeiro de 2016.

Reservatório localizado na creche: prefeitura contrata empresa para cessar vazamento e agora pede ressarcimento da firma responsável pela construção | Arquivo/Candeia

Alcir Zago