Slider

Maria Conceição é conhecida no bairro do Livramento (Igrejinha), onde reside desde a infância e atua junto à comunidade mais carente.

Dia da Consciência Negra

A Câmara de Vereadores de Bariri aprovou projeto de decreto que concede à Maria Conceição dos Santos, 66 anos, o prêmio Zumbi dos Palmares. A indicação partiu da comunidade negra, através do Conselho Municipal de Participação e Desenvolvimento da Comunidade Negra e da Associação Cultural Quilombo de Bariri.
A matéria foi votada em caráter de urgência na última sessão de Câmara, por iniciativa do vereador Luís Carlos de Paula (MDB), o Paraná. O projeto foi aprovado por unanimidade. A sessão solene de entrega da honraria será no dia 2 de dezembro.
Maria Conceição é conhecida no bairro do Livramento (Igrejinha), onde reside desde a infância e atua junto à comunidade mais carente. Com eles, divide duas paixões: a devoção à Nossa Senhora Aparecida e a torcida ao time de futebol dos garotos do Livramento.
Há 14 anos Maria Conceição dos Santos realiza festa comunitária no Dia das Crianças, em devoção a Nossa Senhora da Conceição Aparecida, que reúne centenas de crianças do Livramento e região. A programação prevê missa, novena e distribuição de doces e salgados.
A devoção à Padroeira do Brasil vem desde o seu nascimento. Durante o parto, sua mãe estava sozinha, em casa, e para consolo e segurança, abraçou a imagem da Senhora Aparecida. A festa seria um agradecimento pela vida.
Desde sempre acompanha e torce pelas crianças do futebol do Livramento. Além de torcedora fiel e grande incentivadora, voluntariamente ajuda na lavagem dos uniformes. É comum vê-la em meio à torcida, com suas roupas coloridas.
Maria Conceição ainda traz no currículo importante tradição: foi durante muitos anos integrante da ala das baianas da escola de samba do Livramento.

Oito filhos homens

Maria Conceição nasceu há 66 anos em Bariri, terceira entre os sete filhos do casal Aparecido Pedro e Lazara da Motta Mariano. Semianalfabeta, começou a trabalhar aos 10 anos como empregada doméstica, babá e cozinheira. Casou aos 15 anos, com José Antônio dos Santos. Teve oito filhos homens (um natimorto), hoje tem 21 netos e um bisneto.
Durante muitos anos trabalhou na lavoura, saindo de casa às 5h da manhã e voltando às 10h da noite. Morava em uma casa de dois cômodos, com o marido e sete filhos, no fundo do quintal dos pais. Dividiam uma cama, um berço e o chão.
Aposentada e viúva há 14 anos, hoje divide tudo com os familiares, amigos e a comunidade do Livramento.
Tem “um pique de dar inveja”. Além das roupas coloridas, é conhecida por gostar de festas, tomar uma cervejinha com a família, dançar um pagode e “ir até o chão com a música Bole Bole”.

A iniciativa de homenagear Maria Conceição na Câmara foi do vereador Paraná e recebeu unimidade de votos.