Slider

Prédio onde funcionava a delegacia abriga somente serviços do Detran – Alcir Zago/Candeia

Alcir Zago

Desde o início de 2015 a Delegacia de Polícia de Bariri atende em dois endereços. O prédio antigo, situado na Rua Tenente Peliciotti, 341, no Centro, foi desativado para os serviços policiais, na expectativa de que fosse demolido e desse lugar a um imóvel funcional e moderno.
Passados quatro anos não há previsão de que a nova delegacia seja construída. De acordo com o delegado seccional de Jaú, Ricardo Silva Dias, o principal problema é a falta de dotação orçamentária do governo estadual para a realização da obra.
Ele conta que desde 2015 o governo publica decretos para que haja redução nas despesas com custeio e investimentos. Hoje, a prioridade é concluir as obras em andamento e aguardar para que seja autorizado o início de novas.
Dias relata que o ato para a demolição de um prédio estadual compete exclusivamente ao governador. Recentemente a documentação envolvendo a delegacia de Bariri chegou à Seccional de Jaú, questionando se era mantido o interesse em derrubar o imóvel.
Outro entrave está na elaboração do projeto para construção da nova delegacia. No momento, a delegacia situada em Jaú dispõe apenas da planta básica. De acordo com Dias, os projetos hidráulico e elétrico poderão ficar a cargo da empresa que vencer a licitação para construção da nova delegacia.
O delegado diz que esperava maior colaboração da prefeitura de Bariri nesse trabalho. Além de Bariri, a Seccional tem como prioridade construir delegacia em Dois Córregos. Naquela cidade o projeto está mais adiantado.

Aluguel

O antigo prédio da delegacia de Bariri abriga unidade do Departamento Estadual de Trânsito (Detran).
O governo estadual alugou dois prédios para manutenção do serviço de delegacia. Um deles fica na Rua Tenente Peliciotti, 914, em uma das esquinas com a Rua Rodrigues Alves, no Centro.
O imóvel aglutina trabalho de plantão, atendimento ao público e investigação criminal. O aluguel inicial era de R$ 2,2 mil por mês. Outra casa, na Rua Rodrigues Alves, 517, a poucos metros do outro prédio alugado, é usada para serviços administrativos e cartorários. O valor do contrato firmado à época foi de R$ 2,6 mil por mês.
As instalações antigas abrigavam a delegacia e uma cadeia. Em meados de 2012 o governo estadual decidiu desativar a cadeia de Bariri. As detentas da unidade foram transferidas para a penitenciária feminina de Pirajuí, inaugurada naquele mesmo ano.